segunda-feira, 13 de agosto de 2018

A Individualidade Superior...

O ensinamento sobre uma individualidade mais elevada precisa ser compreendido corretamente. Não que exista uma individualidade separada para cada corpo físico. A consciência que normalmente se identifica com o corpo — isto é, com o ego — quando se volta para o alto com a mais elevada devoção, ou para o Íntimo na mais profunda meditação, chega ao ponto de contato com o ser universal, a Mente-do-Mundo. Esse ponto é o seu próprio eu mais elevado, o representante divino dentro de seu próprio ser. Mas se a devoção ou a meditação forem levadas ainda mais longe, à maior extensão possível de consciência, o próprio ponto é absorvido na sua fonte. Nesse momento, o homem é a sua própria fonte. Mas "homem algum verá Minha face e viverá!" Ele retorna finalmente à consciência terrestre, cujas exigências deve seguir. Entretanto, o conhecimento daquilo que ele é em essência permanece. A presença do representante está sempre lá enquanto isso, sempre percebida. Ela pode ser apropriadamente chamada de sua individualidade superior.


Paul Brunton
Ideias em Perspectiva 

domingo, 12 de agosto de 2018

Abençoe!

Não carregue imediatamente para dentro da sua meditação seus problemas ou tentações, ou os problemas e situações de outras pessoas. Há um momento e lugar apropriados para considerá-los sob uma luz mística ou para apresentá-los a um poder místico. Porém isso não deve acontecer no início da meditação. Pelo contrário, quase no seu final. Todas as meditações conduzidas a partir do ideal filosófico devem terminar com pensamentos nos outros, com a lembrança das suas necessidades espirituais, e com o envio da luz e da graça recebidos para abençoar os indivíduos que precisam dessa ajuda. No início, você deve ter como objetivo esquecer o ego inferior e elevar-se acima dele. Só depois de ter sentido a visita divina, somente perto do final do período da prática, você deve ter como objetivo fazer o Eu Superior ajudar o inferior, ou deve ajudar e abençoar outros eus encarnados. Se, entretanto, você tenta isso prematuramente, se não está disposto a renunciar à vida pessoal, ainda que por alguns minutos, não terá nenhum outro retorno pelo seu esforço, senão os seus próprios pensamentos.


Paul Brunton
Ideias em Perspectivas