domingo, 12 de agosto de 2018

Abençoe!

Não carregue imediatamente para dentro da sua meditação seus problemas ou tentações, ou os problemas e situações de outras pessoas. Há um momento e lugar apropriados para considerá-los sob uma luz mística ou para apresentá-los a um poder místico. Porém isso não deve acontecer no início da meditação. Pelo contrário, quase no seu final. Todas as meditações conduzidas a partir do ideal filosófico devem terminar com pensamentos nos outros, com a lembrança das suas necessidades espirituais, e com o envio da luz e da graça recebidos para abençoar os indivíduos que precisam dessa ajuda. No início, você deve ter como objetivo esquecer o ego inferior e elevar-se acima dele. Só depois de ter sentido a visita divina, somente perto do final do período da prática, você deve ter como objetivo fazer o Eu Superior ajudar o inferior, ou deve ajudar e abençoar outros eus encarnados. Se, entretanto, você tenta isso prematuramente, se não está disposto a renunciar à vida pessoal, ainda que por alguns minutos, não terá nenhum outro retorno pelo seu esforço, senão os seus próprios pensamentos.


Paul Brunton
Ideias em Perspectivas


Nenhum comentário:

Postar um comentário