quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

A Intuição

A intuição deve conduzir todas as outras faculdades do ser humano. Ele deve segui-la, mesmo quando as outras faculdades não concordam com a sua orientação. Pois a intuição vê mais longe do que elas sempre puderam ver, sendo a intuição um efluxo da parte divina do ser humano, a qual é à sua maneira uma parte da divindade universal. Se ele pode ter a certeza de que não é pseudointuição, a verdade nela irá conduzi-lo ao melhor da vida, seja espiritual ou mundana.

Ser guiado intuitivamente não significa que cada problema será resolvido instantaneamente, assim que ele aparecer. Algumas soluções não virão à consciência até quase o último minuto, antes que elas sejam realmente necessárias. Ele aprende a ser paciente, para deixar que o poder superior siga o seu próprio curso.

A mente intuitivamente governada é a mente indivisível. Ela não tem que escolher entre opções contrastantes ou aceitar uma das duas alternativas. Ela não sofre com a dupla-face do estado de ser que oscila desta ou daquela maneira devido a evidências conflitantes, emoções contraditórias ou juízos hesitantes.

Paul Brunton
O Caminho Breve


Nenhum comentário:

Postar um comentário