sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

...Provações internas.


" Quando começa a receber instrução de seu instrutor, o discípulo também começa um período de provação em seu caminho interior e de separação de suas fraquezas internas. A provação gradualmente o habilitará a revelar os diferentes aspectos de sua personalidade e indicará sua real receptividade à influência do instrutor. Durante esse processo, surgem as qualidades que estão latentes sob a superfície; as situações se organizam por si mesmas de tal forma que o forçam a expressá-las. Em resumo, o que está escondido se revela. Assim ser-lhe-á dada a oportunidade de examinar seus alicerces morais antes de avançar para o treinamento místico intensivo que colocará em suas mãos o poder e o conhecimento ocultos. Sem esses alicerces, aquele que tomar posse desses poderes poderá logo cair em tentações invencíveis, com resultados desastrosos para si próprio e para outras pessoas. O conflito interno faz vir a provação e o forçará a enfrentar a si mesmo, a reconhecer as fraquezas presentes em seu interior e a tentar vencê-las. Se não houver outra maneira de levá-lo a isso, então ele terá que sofrer as consequências dessas fraquezas, assim como as de tê-las guardado consigo. Naturalmente, esse fase do caminho do discípulo estará cheia de tensões e o levará a muitas dúvidas sobre si mesmo. O período de provação é um tempo de testes severos e fortes tentações. Entretanto, o princípio da provação é um princípio sadio. Escapando ao vórtice de seus testes, tensões e comoções, ele tem a oportunidade de emergir como um homem mais forte e mais sábio. "


Paul Brunton
A Busca





Nenhum comentário:

Postar um comentário