domingo, 15 de maio de 2016

A Guerra e o Mundo

A Crise Pessoal


A guerra é uma catástrofe de tal ordem que os homens tentam evitá-la. Assim, lutam, discutem,
inventam, imaginam soluções políticas, quase sempre insuficientes visto que a guerra existe no pensamento humano muito antes de se concretizar pelas armas.

O que é necessário, pois, é corrigir o pensamento operante. Quando se despertarem para uma concepção mais metafísica, os homens perceberão que, combatendo as ideias e os sentimentos que dão origem aos conflitos armados, podem cortar o flagelo pela raiz. As conferências políticas podem produzir uma paz verbal, mas deixarão milhares de pessoas odiando-se entre si. Evidentemente, a guerra, como o fogo sob as cinzas, prosseguirá de modo invisível. Precisamos nunca perder de vista que a paz real não pode existir senão depois de haver sido estabelecida no coração dos homens.

Os numerosos erros cometidos na ação, os pecados contra a moral são imputáveis ao erro de pensamento inicial, a primeira falta de compreensão. As verdadeiras raízes dos combates fratricidas jazem na natureza humana, sendo que as raízes sociais, políticas e econômicas são secundárias. O pensamento é criador. Os apetites e os ódios, a inveja e o ciúme tomam, cedo ou tarde, as formas que recentemente tivemos sob nossos olhos. Os que as deploram devem compreender que a melhor maneira de agir contra elas é penetrar em suas causas profundas. O meio mais eficaz de ajudar a humanidade é descobrir e espalhar a verdade que há nelas. As instituições humanas vêm de seu coração e de sua mente. Se seu pensamento é imperfeito, se os sentimentos são baseados no egoísmo, as instituições procederão desta imperfeição e desta corrupção; não podem melhorar senão quando forem a expressão de uma atitude mais nobre ou quando forem a voz dessa misteriosa aspiração na direção do Eu Superior. Se as pessoas mostrassem somente a metade do entusiasmo com que acolhem os reajustamentos políticos ao obedecer a seus impulsos elevados, obteriam um mundo melhor e mais rapidamente, com mais segurança e mais facilidade.   Porque, no fim de contas, cada problema social se torna o problema pessoal.  Pela simples razão de que cada um, como membro da sociedade, se conduz mal, a sociedade age mal em seu conjunto.   Procurando conseguir um mundo novo e melhor sem procurar antes novos e melhores homens, chegaremos por força a uma segunda edição do primeiro mundo que tanto nos atormentava. O que é importante reconhecer é que a maior parte dos homens não quer transformar seu caráter. A vida se encarrega logo dessa tarefa com o triste acompanhamento das trombetas de Marte.

Leia mais: