segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Entregar-se a Deus

É possível fundir a sabedoria deste mundo com a sabedoria das coisas divinas?
Por que não?
Por que, por exemplo, não há de o pesquisador aliar-se ao administrador prático?
Conheço o dono de uma fábrica de produtos químicos numa província inglesa, que tentou fazer isto.   Toda a sua organização, seu equipamento de laboratório, seus métodos de anúncio e seus produtos manufaturados se colocam facilmente, entre os seus congéneres, como os melhores e os mais modernos. 
Ele trata seus numerosos operários na base da Regra de Ouro. Não há nada, dentro do bom senso, que não faça por eles, com o resultado de que não há nada razoável que os operários não façam para ele.   Todas as noites, antes de se recolher para repousar após um dia de poeira e esforços — e esse era o único tempo de que dispunha — dirige-se a um recanto sossegado de sua casa e dedica uma tranquila meia hora à quietude mental, extraindo daí uma paz sublime e energia alentadora, que o habilitam a manter uma secreta liberdade do espírito em meio de toda a mecanização de hoje. Ele tornou esta prática regular perfeitamente compatível com a vida ativa. Proporciona-lhe um equilíbrio interior em meio das distrações e turbulências da presente existência. A força e sabedoria superiores que ele encontra no divino centro, são mais tarde aplicadas na ação efetiva em sua administração.


Paul Brunton
O Caminho Secreto

Nenhum comentário:

Postar um comentário