segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Encontramos no Eu Superior o valor supremo e absoluto, pois ele transcende o próprio plano da
ideação. O Eu Superior não pode se separar do karma cósmico, mas não está sujeito à ação da causalidade pessoal, porque não está sujeito à personalidade, à mudança e à relatividade; ele está além dos limites dessas ideias que surgem dentro desse karma.

Quando viermos a refletir sobre a natureza da realidade suprema, compreenderemos por que isso acontece dessa maneira. Por conseguinte, o karma pessoal não pode agir nessa esfera do absoluto, por mais rígida e inflexível que seja sua atuação dentro do mundo do espaço-tempo da existência relativa. O fato de a causalidade pessoal não existir no sentido mais profundo da existência oferece uma grande esperança para a humanidade, pois torna possível a introdução do fator totalmente novo e inesperado da Graça na vida e nas vicissitudes humanas. 

E como um colete salva-vidas ao qual os mortais desesperados podem agarrar-se. O pior pecador pode receber o que não fez por merecer, se sinceramente vier a se arrepender, fizer todas as correções possíveis e mudar de atitude, passando a cultivar uma fé sublime. Independentemente de como possa ter sido sua vida pregressa, se, ao mudar seus pensamentos e suas ações, ele conseguir fazer-se ouvir nesse plano mais elevado, é sempre possível que a dádiva da Graça desça sobre ele.


Paul Brunton
O Que É o Karma?


Nenhum comentário:

Postar um comentário