sexta-feira, 12 de agosto de 2016

A Presença Misteriosa

Nas etapas iniciais do progresso espiritual, a Graça pode mostrar-se por meio da concessão de emoções enlevadas. 

Isso encoraja o aspirante a continuar a Busca e a compreender que até então está se empenhando de maneira correta. Mas, alcançado tal propósito, os estados de bem-aventurança por fim passarão, como devem passar. 

Ele então erroneamente imaginará que perdeu a Graça, que deixou de fazer algo que deveria ter feito ou que fez algo que não deveria ter feito. A verdade é que foi a própria Graça que trouxe essa perda, que constitui sua próxima etapa de progresso, embora não proporcione prazer algum a mente consciente, apenas dor. 

A crença de que perdeu o contato direto com o Poder Maior, que ele antes usufruía, está errada: seu contato era na realidade apenas indireto, porque suas emoções estavam então ocupadas consigo mesmas e com o prazer da experiência.

O aspirante está sendo separado delas para que possa esvaziar-se de todo desejo, para que possa tornar-se completamente humilde no que se refere ao ego e assim ficar pronto para a hora em que a alegria, uma vez reconquistada, nunca mais o deixará. Agora ele esta no limiar da noite escuta da alma. 
Nesse estado a Graça também atua em seu ser, mas nas profundezas da mente subconsciente, bem longe da sua vista e além do seu controle.

Paul Brunton
A Graça Divina

Nenhum comentário:

Postar um comentário