terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Atitude para com o sofrimento

O ego natural e compreensivelmente se revolta amargamente contra as calamidades postas sobre si pelo acaso, pelo destino, ou por qualquer outra causa aparente fora de si mesmo. O buscador não deve aceitar essa emoção e tem que se separar dela. Assim, ele avança como um jato em sua busca. 

Se ele puder chegar ao ponto de considerar os acontecimentos que lhe chegam como sendo destinados a extrair suas qualidades e exercitar seus poderes, e assim lhe dar a chance de cultivá-los, aprenderá a ser grato e a aceitar a responsabilidade de escolher se aquelas qualidades são positivas ou negativas, se aqueles poderes são bons ou maus. 

A vida na terra não deve ser para nós uma meta em si, mas um meio para alcançar a meta. Todas as suas experiências devem ser usadas para moldar nosso caráter e aumentar nosso conhecimento e, acima de tudo, para nos trazer mais perto da descoberta do, e da identificação com, nosso Eu Superior. 

Se aceitarmos a existência de um poder superior por trás da vida e do universo e se, em seguida, acreditarmos que a sabedoria infinita é um atributo desse poder, então, finalmente, temos que aceitar a vida como a encontramos e como nós humanamente a  experienciamos. 

Não há problema algum que não carregue em si um sentido oculto, nenhuma pessoa em contato conosco que não traga dentro de si mesma uma mensagem oculta. Assim que nos elevarmos além do nível das aparências, e enquanto ficarmos naquele nível, o problema nos mostra o modo de resolvê-lo e a pessoa toca sua verdadeira nota na harmonia de nossas vidas. 

Uma fé forte é necessária para se acreditar que mesmo no meio da mais perigosa aflição, da mais triste dificuldade, o que acontece está sancionado por, e sob a regência de, leis divinamente ordenadas e que possui um significado racional e superior que deveríamos buscar extrair e levar em conta. Aqueles que carecem dessa fé sustentam um semblante carregado de tensão que denuncia ausência de calma interior. No entanto, basta um único passo para dar uma reviravolta e começar a jornada da miséria interior para a radiância interior. 

Os problemas e inconveniências da vida não nos chegam sem o conhecimento e a sanção do poder superior. Portanto, não nos chegam sem alguma razão. 

Quais sejam as  dificuldades que encontramos  no curso de uma vida, devemos nos lembrar que alguma razão as colocou ali: não são sem sentido. Mas quer tenham sido postas ali por nossa própria falta ou pela falta dos outros, ou por um destino implacável, normalmente é possível extrair lucro delas, no mínimo, ou passar por elas com sucesso, no máximo. Através da capacidade que elas estimulam, do poder que desenvolvem, ou da disciplina e da correção que impõem, podem ser usadas para gerar vantagem pessoal. 

Se ele trabalhar fielmente na busca, toda experiência que for essencial a seu crescimento interior gravitará até ele, toda coisa ou pessoa necessária ao seu desenvolvimento será atraída a ele, sujeita a uma sincronização com seu carma pessoal. Ele, por sua vez, deve dar boas vindas a estas situações que podem ser usadas para fortalecer sua vida interior. 


Paul Brunton
A Cura nos Notebooks de Paul Brunton
Trechos sobre Cura

Livreto criado pela Shasti Association



Nenhum comentário:

Postar um comentário