quinta-feira, 30 de abril de 2015

O Auto-Aperfeiçoamento

"A sensibilidade intuitiva do artista e o intelecto aguçado do cientista são necessários para manter aquele delicado equilíbrio que indica quando se deve assumir a responsabilidade pelas próprias decisões, ações e pela própria vida e quando transferir essa responsabilidade para um poder superior. 

Não basta que o iniciante afirme que ele entrega sua vida nas mãos de Deus, pois obviamente, se ele continua a tomar as mesmas tolas decisões e a ter a mesma conduta incorreta de antes, sua vida ainda permanece nas mãos do ego pessoal.

Para ser efetivo, seu compromisso deve ser acompanhado do dever do auto-aperfeiçoamento.
A entrega ao poder superior não o libera desse dever; pelo contrário, leva-o, a uma vez mais, a cumpri-lo. A transferência da responsabilidade pessoal é conseguida somente quando há o despertar da consciência para o Eu Superior.
Antes disso, o simples fato de ele desejar e expressar esse desejo não fazem com que isso aconteça. Por meio desse artifício ele pode até tentar se aliviar do peso da obrigação e da irritação que os obstáculos provocam, mas o alívio será apenas ilusório e não real."

Paul Brunton
(Meditações para Pessoas em Crise)

Nenhum comentário:

Postar um comentário