quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Todos em Um






A experiência humana é o resultado final de um processo de inter-reação, uma tela fiada conjuntamente com um espírito comum em que residem e pensam todos os seres humanos que reside e pensa neles. Todo a mundo em si é o produto da combinação de uma imaginação cósmica e de uma imaginação individual.




Paul Brunton
A Sabedoria do Eu Superior

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

A Filosofia, nossa mais brilhante esperança

A filosofia oferece a todos uma experiência suprema maravilhosa e constitui nossa mais brilhante esperança.

Todas as palavras são miseráveis diante desta grande experiência que um dia toda a raça humana conhecerá; e todos os que estudam com sinceridade e perseverança podem conhecê-la desde já.

É portanto um erro crer que a vida exterior, a existência pessoal, as relações sociais do estudante filósofo possam sofrer uma espécie de mutilação ou de diminuição. Elas se enriquecerão e se alargarão, contrariamente às expectativas malsãs, pois, com efeito, o espírito deve fazer descer, neste mundo de espaço e de tempo, um pouco desta grandeza bem-aventurada, deste milagre permanente que percebe no seu mundo transcendental. 

Embora o Real no absoluto e na sua pureza se encontre permanentemente como um Vazio, além do mundo manifesto e relativo, não será menos paradoxalmente a fonte e a inspiração dos valores mais altos que este contém. O estudante acha pois, na filosofia, em função de suas tendências interiores e das circunstâncias exteriores, o que não encontra no ascetismo místico: um poderoso impulso para criar novos valores na arte, na literatura, na civilização e no trabalho, na instrução e na política, bem como na economia e na indústria; em suma, em todos os campos da atividade humana.


Paul Brunton
A Sabedoria do Eu Superior



terça-feira, 10 de outubro de 2017

Atividade característica da Mente-Mundial...

Umas das implicações mais importantes do mentalismo é o poder de concentrar o pensamento de maneira a afetar esta experiência exterior.

O construtor obtém os planos de um arquiteto, mas este obtém as ideias de sua própria imaginação.  

O nosso estudo sobre o nascimento do Universo nos mostrou que a primeira atividade característica da Mente-Mundial é construir imagens. Suas formas criadoras nada mais são que vibrações no interior de sua própria substância mental.

Levamos uma atividade paralela em nosso modo limitado e finito. Quando formamos uma imagem mental ou uma ideia abstrata, elas nascem, uma e a outra, de uma substância-energia intangível e invisível.

Se compreendermos que o drama do mundo se desenvolve apenas na mente, entenderemos também que o karma nos devolve, no fim, nossas próprias imagens e ao mesmo tempo as compensações agradáveis ou penosas que elas comportam.

Se nossa ambiência presente não é outra coisa que nossos antigos pensamentos que nos fazem voltar, não podemos repelir toda a responsabilidade em sua qualidade e forma. É preciso que pensemos com justeza e aprendamos o mais possível. Não são as ideias que atravessam a consciência, de maneira efêmera, o que importa, mas a tendência do pensamento habitual, as ideias que voltam constantemente e recebem um dinamismo poderoso de nossa fé e da nossa vontade. A imaginação intensa torna-se, assim, uma matriz na qual, com os ajustamentos reclamados pelo karma e a evolução, são moldados ao mesmo tempo o meios e os acontecimentos. As imagens mentais e as ideias racionais que retornam com frequência, e durante muito tempo, e com mais força na consciência, podem ajudar a nos elevar à nobreza espiritual e a harmonia neste mundo, ou então podem nos degradar, quando negativas, à baixeza espiritual e à discordância com o mundo.


Paul Brunton
A Sabedoria do Eu Superior



segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Alguns frutos da filosofia



Se o Universo não tivesse saído da essência divina, nenhuma das criaturas que contém poderia verdadeiramente esperar atingir um estado mais divino. Mas, sendo ele, na verdade, a manifestação da Mente Mundial, e as criaturas, sendo da mesma substância sagrada, todas as criaturas vivas hão de sentir, por força, o desejo de iluminação ulterior. Aí está a razão de sua maior esperança, a sua melhor segurança de que poderão encontrar um dia o Eu Superior. Daí a relação íntima com este, que constitui uma garantia suficiente de que podem obter sua ajuda.



Paul Brunton
A Sabedoria do Eu Superior

domingo, 8 de outubro de 2017

O defeito de memória da humanidade...

Milhões de cristãos repetiram a frase: "Que o teu nome seja santificado!" Que significa? Que não devemos formular nenhum pensamento, nenhuma palavra, nenhuma frase que separe Deus de qualquer coisa, que conheçamos ou possamos imaginar, incluindo nós mesmos. 

Devemos procurar sentir a santificação de Deus sem tentar separá-lo do que quer seja ou de quem quer que seja, visto que Deus está finalmente em toda parte e em tudo. Existe um mundo de existência real que a humanidade ainda tem de procurar e amar, tal é a missão não escrita que nos fixou a vida; tal a significação da existência terrestre para todos nós.

É inútil formular ideias tão distantes a respeito de uma realidade semelhante à sombra, numa época de transtornos mundiais sem precedentes, quando a maior parte dos que as leem não sentirão provavelmente sua verdade e, ainda menos provável, não compreenderão esta verdade durante esta encarnação presente? Sim, sem dúvida, porém elas são escritas para o pequeno número que tem necessidade delas e também na crença de que penetrarão profundamente nas mentes conscientes de algumas outras em que soprarão sob as brasas de um passado há muito tempo esquecidas, chamando à atividade camadas de memória enterradas muito abaixo. Finalmente os sofrimentos experimentados hoje em semelhante escala pela humanidade são devidos a um defeito de memória. A humanidade esqueceu realmente o que é, donde vem e para onde vai. Uma das metas deste livro* é ajudar a reencontrar esta memória, porque o que começa como reminiscência terminará como reconhecimento.


Paul Brunton
A Sabedoria do Eu Superior*

sábado, 7 de outubro de 2017

O Vazio original

A Mente-Mundial emergiu da Mente e o universo emergiu da Mente-Mundial. 
De passagem, não atribuamos muita importância à preposição "de", utilizada por falta de um termo melhor. 

O universo nunca está fora da Mente-Mundial, assim como este não se separa nunca da Mente.
Toda palavra, possuindo um sentido espacial, é imprópria. Em seu primeiro aspecto, a Mente-Mundial é não-consciência, enquanto que no segundo, ela é a consciência integral. No primeiro, entrega-se inteiramente a si mesma; no segundo, consagra-se a pensar no que lhe parece como "outro". 

Se podemos considerar a Mente-Mundial como um pensamento da Mente-Essência e o universo como um pensamento da Mente-Mundial, este universo será desde então um pensamento num pensamento!

O Vazio original se torna a Mente-Mundial; não o cria. A Mente-Mundial se torna ao mesmo tempo o mundo e o homem e não os cria. A mente do homem se torna seus pensamentos e não os cria. Assim acaba o círculo da continuidade. Do mesmo modo que é o mesmo elemento que se manifesta em forma de vapor, de água e de gelo, assim é a única e mesma Mente que se manifesta como Mente-Mundial e universo sólido.


Paul Brunton
A Sabedoria do Eu Superior

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Sobre o Vazio

A concepção intelectual do Vazio parece sempre austera demais, no sentido humano. 

Ela se associa (sem razão, é verdade) com a do frio da morte e do silêncio dos cemitérios.

Esta reação provém do materialismo inerente aos sentidos, da incapacidade de olhar além do que se vê, se sente, se gosta, ou se toca. 
Pouca gente pode, no começo, olhar de frente esta concepção do Vazio, sem sentir arrepios. 
É, entretanto, necessário familiarizar-se com ela antes de poder passar ao grau de entendimento seguinte. Seria um erro interpretar o termo Vazio somente no sentido niilista ou negativo.

Embora pareça paradoxal, o Vazio tem um sentido positivo também. Se o Absoluto é de tal forma afastado de tudo o que conhecemos em existência, não podemos, entretanto, classificá-lo de NADA.

Ele existe positivamente, embora não tenha existência individual. Esta noção é inacessível para a inteligência, é só o será a uma alta faculdade de penetração. Porque é a natureza real de todos nós e se alguns tiveram conhecimento dela no passado, eles existiam certamente e o que eles sabiam não era inexistente, pelo que se conclui que devia possuir um gênero de ser. Segundo um texto tibetano de nosso ensino: os homens criaram o tempo a partir do Vazio, e pertenciam, eles próprios, ao Vazio. Os que compreendem isto podem mergulhar profundamente no elemento do Nirvana que transcende à relatividade.


Paul Brunton
A Sabedoria do Eu Superior


quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Uma inspiração para a Busca

Na história espiritual do indivíduo há sempre um momento em que, por exemplo, um luto cruel, uma grave perda, o naufrágio de suas ambições, uma doença física, vem enfraquecer seu gosto pelo mundo e diminuir sua vontade de viver. 


Por um momento se afasta dos prazeres sensuais e deixa planar uma nuvem de tristeza em sua alma.  Esta nuvem passa, naturalmente, mas inspira o desejo de reencontrar satisfações independentes das coisas exteriores e faz começar a pesquisa da realidade interior.



Paul Brunton
A Sabedoria do Eu Superior

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Dissolvendo o mal do mundo

A civilização deve mudar; o melhor é colaborar com o destino para determinar a natureza desta mudança. Manifestamente será necessário sobrepujar obstáculos himalaianos e esta perspectiva desencoraja muitos homens. É muito fácil adotar uma atitude negativa. Mas é pouco provável que um homem tenha êxito ao dar cumprimento a uma tarefa eriçada de dificuldades, se considera apenas estes óbices. 

A filosofia ensina que não se pode julgar bem uma situação ou tarefa senão examinando-a em todos os seus aspectos, brilhantes ou sombrios, e a interpretação correta dos princípios da existência manda que nos fiemos em nossos recursos latentes e não nos abandonemos a uma inércia culposa. Se o quisermos, podemos transformar o teórico em real. O modo de libertar o mundo de seus sofrimentos não é desesperando-se, mas esperando.

A crise da humanidade é pesada em seu destino, mas não é obrigatoriamente fatal. A maior parte do karma vingador que nos conduziu à situação atual já se acha gasta. O que resta dele pode ser modificado pela criação de uma nova corrente kármica contrária que, se se tornar suficientemente poderosa, deslocará a anterior. Se fôssemos mais avisados, mais arrependidos, esta nova corrente poderia tornar inoperantes algumas das forças em ação (não todas).


Paul Brunton
A Sabedoria do Eu Superior

terça-feira, 3 de outubro de 2017

O Eu Superior no coração...

Por existir em cada homem o Eu Superior, a graça existe em estado potencial. Quando nele desperta, dá-lhe imediatamente a consciência de mudança enorme no sentido em que opera; trata-se da mutação moral, física, sentimental ou material. Esta potência é tal que pode frequentemente destruir seu equilíbrio no domínio sentimental ou intelectual.

O Eu Superior não está muito longe, além do coração. Se se julga de outra maneira, é uma ilusão, da qual devemos libertar-nos para a busca metafísica ou a prática mística. A afirmação de que Deus reside no coração do homem não é somente de caráter poético, mas de caráter científico. E, portanto, o nascimento da graça é primeiro sentido no coração, não na cabeça, porque o coração é o mais íntimo habitat no corpo humano.

Ela se manifesta de dois modos: primeiramente, por um sentimento que faz considerar a vida exterior como insuficiente por si mesma; em segundo lugar, por um desejo ardente da realidade interior. O nascimento começa por uma chamada da atenção sobre o peito. A força interior age por uma força centrípeta que desvia a atenção do exterior e da ambiência física. Se o paciente obedece a essa solicitação e a concentra cada vez mais, no sentido interior, achará sua recompensa. Começa a sentir que existe nele alguma coisa oculta de que deve, conscientemente, tomar posse, sob pena de experimentar todas as dores da frustração e da privação. A noção do que pode ser essa "alguma coisa" não é nítida na sua mente, mas tem a intuição de que se trata de um elemento sagrado da alma divina. 

Paul Brunton
A Sabedoria do Eu Superior

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Milagre da Graça

O karma sombrio do pecado e da dor com que nos vestimos na maioria, é muito pesado para que o levemos a sós.

Infelizmente, somos criaturas fracas, ignorantes ainda, de humor cambiante, fáceis de desencorajar. É preciso aceitar o fato; ainda somos assim. Somos incapazes de apagar nossas dúvidas intelectuais, de sobrepujar nossas tentações morais ou de resolver dificuldades práticas. 

Não podemos ser impelidos por asas angelicais, da noite para o dia. É preciso ainda que lutemos, a princípio contra nossos vícios, bem conhecidos e em seguida, contra o que pensamos, algum tempo, que fosse virtude. 

Este conflito é inevitável porque a pessoa não abandona facilmente sua empresa. Não temos, pois, necessidade de apoio até o dia em que nos sentirmos bastante fortes para nos levantarmos e conduzirmos nosso fardo. A ajuda nos é necessária. É preciso que alguma coisa maior que nosso eu ordinário intervenha a nosso favor, no complexo jogo da vida.

Isto é verdadeiro para a maioria dos seres humanos.  Mas aqueles dentre nós que começaram a se inquietar na busca do Eu Superior e desejam, ardentemente, alargar sua experiência, têm mais ensejos de melancolia.  É difícil. Muitos dentre nós não são bastante fortes para se disciplinar; a herança kármica pesa-lhes sobre tal modo nas costas, que lhes abafa o anseio de melhorar o caráter.  Ora, a ajuda e a necessidade de simpatia são condições humanas. Nós nos arriscamos a não obter satisfações maiores e plenas, dependendo unicamente de nós mesmos. 

Por outro lado, nossa inteligência é, às vezes, muito pobre para atinar com as verdades metafísicas, quase sempre sutis, em torno das quais se efetua a maior parte de nossas pesquisas.  Por todas essas razões, há lugar na vida, ao lado de nossos esforços, para um esforço divino no sentido do favor, da graça. Se a empresa de obter a capacidade de penetração deve ser iniciada pelo homem, ele não poderá a sós conduzi-la a bom termo. Acontece que um dia, em desespero de causa, lançará um apelo de auxílio ao seu Eu Superior. E esta ajuda se manifestará sob a forma da Graça, se a merecer. 

Paul Brunton
A Sabedoria do Eu Superior

domingo, 1 de outubro de 2017

Tenha compaixão para com os animais!


" Os homens suplicam ao Senhor, com preces lamentosas, por ajuda compassiva ou perdão benevolente e no entanto, nem por um momento pensam neles próprios terem misericórdia para com as criaturas inocentes que são criadas e abatidas para seu proveito.


Quanto mais perto se está da alma das coisas, mais em harmonia se fica com a Natureza. E se, se é verdadeiro com seus instintos, se comerá mais e mais alimentos que apenas a Natureza produz. "



Paul Brunton
O Corpo como um Templo

sábado, 30 de setembro de 2017

Manto da Beleza...

Inesquecível como a descoberta de uma riqueza secreta, foi o dia em que este Eu Superior escolheu dar-se a conhecer a mim. 

Pois eu tinha chegado a uma crise em minha vida e não poderia ir mais longe se esta perturbação no ar com pensamentos ásperos, não fosse posta corretamente da única maneira que poderia ser endireitada.

Muitas são as aventuras e muitos incidentes que me aconteceram desde aquela época, tanto de aflição quanto de bem-estar. Mas agora isto não importa, nem julgo que valha a pena lembrar.
Pois as névoas que jaziam sobre mim começaram a desaparecer, e eu vim a saber que o homem não anda sozinho. O Eu Superior está sempre com ele.

À medida que os anos se desdobravam com as cortinas escuras do futuro, uma estranha aquiescência roubou meu coração quando coloquei minha vida sobre o altar da Obediência e quando cheguei a aceitar cada dia tão livremente, como o nômade errante aceita o deserto impiedoso em que nasceu.

Em seguida, lançou-se um sudário de cuidado que me envolveu e tirou-me do túmulo do desejo insatisfeito. Então eu me envolvi com um manto como seda da beleza velada e secreta, e procurei não deixar que féis de amarguras, nenhuma tempestade de paixão, tocasse-a.

Paul Brunton
Frase extraída do livro: Notebook 08 - Reflections on my Life and Writings.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

O Filósofo...

O SANTO: praticou com êxito disciplinas ascéticas e sistemas de vida purificadores com propósitos devocionais.

O PROFETA: escutou a voz de Deus, ouviu e comunicou Suas mensagens de predição, admoestação ou conselho.

O MÍSTICO: experimentou intimamente a presença de Deus enquanto mergulhado interiormente em contemplação, ou teve uma visão da cosmogonia de Deus enquanto concentrado em meditação.

O SÁBIO: obteve os mesmos resultados de todos esses três, acrescentou-lhes um conhecimento da realidade eterna e infinita, e conduziu tudo a uma união equilibrada.

O FILÓSOFO: é um sábio que, além disso, pôs-se a serviço da educação espiritual dos outros.


Paul Brunton.
Ideias em Perspectiva

sábado, 5 de agosto de 2017

O que é o Eu Superior?


Há muita confusão na compreensão sobre o que acontece com o ego ao atingir o objetivo final. 


Alguns acreditam que a consciência cósmica se desenvolve neles com uma inteligência onisciente e um sentimento de estar em toda parte. 

Eles consideram isso como a unidade com o universo inteiro. Outros afirmam que há uma perda total do ego, uma destruição total do eu pessoal.

Não – essas são noções confusas do que realmente ocorre. O Eu Superior não é uma entidade coletiva como se fosse composta por um número de partículas. 

O iluminado se relaciona com os outros seres humanos através da iluminação, não por estar em união com eles, mas apenas com compaixão; não em identificação psíquica com eles, mas em harmonia psíquica. Ele ampliou a área de sua visão e vê a si mesmo como uma parte da humanidade. 

Mas isso não significa que ele tornou-se consciente de toda a humanidade como se fosse ele próprio. A verdadeira unidade é com o seu próprio eu mais elevado e indestrutível. 

É, entretanto, com uma individualidade superior, não com uma cósmica e é, entretanto, com o seu próprio eu e não com o resto da humanidade. A unidade com eles não é nem mística nem praticamente possível. O que nós descobrimos é descoberto por um aprofundamento da consciência, não por um alargamento da mesma. 

Por isso, não é tanto um eu mais amplo, mas um mais profundo que ele tem que encontrar primeiro.

Paul Brunton
O Caminho Breve


terça-feira, 11 de julho de 2017

Mente-do-Mundo

É por meio de processos kármicos que agem mutuamente que esse universo pôde manifestar-se. A Mente-do-Mundo não produz imagens gerais do mundo por um decreto arbitrário, e sim pela continuidade natural dessas imagens como resultado de todas as que existiram anteriormente. 

Elas são a continuação de todas as imagens do mundo de que se tem lembrança que apareceram anteriormente, porém modificadas e desenvolvidas por meio de sua própria mútua interação e evolução, e não pelo de­creto caprichoso de um Deus humanizado. 

A Mente-do-Mundo cria o universo pensando nele de forma construtiva, mas não arbitrária. Os pensamentos surgem espontaneamente regidos por uma estreita lei kármica e evolutiva. Deve-se enfatizar que de acordo com essa perspectiva o universo constitui um sistema autopropulsor, embora seja preciso igualmente compreender que o sistema em si depende da Mente-do-Mundo para a continuidade de sua existência e ininterrupta atividade.

Todas as forças kármicas e formas-pensamento levam avante suas mútuas atividades, entrelaçam-se, interagem e evoluem espontaneamente na presença da luz do Sol. Mas é a essa presença que elas devem seu sustento e sua existência.


Paul Brunton
O Que É O Karma?


segunda-feira, 10 de julho de 2017

Uma única luz...

Uma única luz se reflete em um milhão de fotos, cada uma diferente das demais. Uma única Mente-do-Mundo reflete-se em um milhão de pessoas, cada uma diferente de todas as outras. E assim como os objetos no universo passam a existir pelo poder do karma, o mesmo acontece com as pessoas. 

A nova criatura emerge na existência universal da mesma maneira que uma nova coisa, ou seja, trazendo para o presente toda a antiga bagagem kármica que, por sua vez, é o resultado de uma existência ainda anterior. O indivíduo e o mundo surgem juntos no mesmo momento vindos de um passado que os acompanha. 

Seus karmas estão associados aos da existência universal e não aparecem de forma separada ou subsequente. Ambos entram em atividade sincronicamente. Quando a energia da Mente-do-Mundo se manifesta, ela adquire um caráter duplo e tanto o universo quanto as pessoas nascem ao mesmo tempo. 

O universo não se manifesta antes, nem os indivíduos, mas ambos conjuntamente. Colocando as coisas de outra maneira, quando as ondulações do karma se propagam pela Mente-do-Mundo, elas se deslocam ao mesmo tempo pelo universo e pelo indivíduo e atuam da mesma maneira.

Paul Brunton
O Que É O Karma?

domingo, 9 de julho de 2017

Libertar-se das mágoas!

A quietude da mente só poderá instalar-se se pagarmos um preço por ela, e parte desse preço é nos libertarmos da excessiva dependência das coisas externas.

A mente precisa livrar-se de ansiedades e preocupações em vez de entregar-se a elas em impotente submissão. Isso servirá para invocar as forças protetoras e com elas colaborar.

Toda a mágoa que nutrimos com relação a outras pessoas deve ser banida. Devemos dar amor, seja ele retribuído ou não, e devemos dá-lo igualmente aos fracos e aos fortes. 

Uma rica compensação interior aguarda os que são capazes de perseverar nessa atitude.


Paul Brunton
O Que É O Karma?

sábado, 8 de julho de 2017

Entregue-se ao Eu Superior!

Resolva todos os assuntos da melhor maneira e, então, entregue o resultado ao destino e ao Eu Superior.

De qualquer modo, não há nada mais a fazer. Você pode modificar seu destino, porém certos acontecimentos são inevitáveis, porque o mundo não nos pertence, mas sim a Deus. 

Você não pode saber antecipadamente quais são esses acontecimentos, portanto precisa agir de forma inteligente e intuitiva; mais tarde, você poderá descobrir quais são esses acontecimentos e aceitá-los. 

Não importa o que possa ocorrer, o Eu Superior estará presente e o ajudará a passar pelas dificuldades. Tudo o que acontece no que diz respeito à sua vida material acontece ao seu corpo, não ao seu verdadeiro Eu.

O pior é quando outras pessoas dependem de você. Mesmo assim, você deve aprender a confiá-las aos cuidados amorosos do Eu Superior, em vez de tentar colocar toda a carga sobre seus próprios ombros. Se ele pode cuidar de você, pode cuidar deles também.


Paul Brunton
O Que É O Karma?